Ricardo Herz | Bate-Papo

05 de Agosto de 2013

Herz reinventou o violino. Sua técnica leva ao instrumento o resfolego da sanfona, o ronco da rabeca e as belas melodias do choro tradicional e moderno. O violinista mistura ritmos brasileiros, africanos e o sentido de improvisação do jazz mostrando a influência dos 9 anos em que viveu na França. Com Pedro Ito (bateria e percussão), Michi Ruzitschka (violão de 7 cordas) e Ricardo herz (violino).

Perguntas

  1. - No forró "Quase Caindo" o seu violino parecia com um pífano, foi a sua intenção fazer isso?
  2. - Existe uma tendência dos novos músicos de tocar bateria, um pouco mais sutil, de comentário, mais rico, do que a bateria mais antiga, que era mais de manter o ritmo?
  3. - Me pareceu que tinha alguma coisa de Baden Powel no seu violão, mesmo sendo um violão de sete cordas, tem alguma coisa de influência?
  4. - Qual foi o momento que você migrou da música erudita para a música popular?
  5. - Fale sobre a sua experiência de gravar em casa com vários violinos no trabalho Brasil em três por quatro.
  6. - Gostaria de saber como foi o show que vocês fizeram em Israel?
  7. - O que falta para que mais instrumentistas de arco sigam a música popular brasileira?
  8. - Vocês três estudaram na Berklee?
  9. - Você já ouvi Jean-Luc Ponty?
  10. - Onde você morou e estudou na França?
Voltar ao topo

Programação SescTV

31 de Agosto

  • 08:30Passagem de som - Heraldo do Monte (Livre)
  • 13:00Passagem de som - Ruído/MM (Livre)
  • 13:30Instrumental SESC Brasil Inédito - Ruído/MM (Livre)
  • 18:00Instrumental SESC Brasil - Macaco Bong (Livre)
  • 22:30Passagem de som - Frank Hezberg Trio (Livre)
programação completa